Notícias

Ternium Siderar: Toyotófilos

7 fev 2017
Print this pageEmail this to someoneShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on TumblrShare on LinkedIn

A equipe da Serviacero III na Argentina conseguiu resultados extraordinários na primeira auditoria realizada pela Toyota.

No final do ano, a Serviacero III passou pela sua primeira auditoria da Toyota e recebeu 90% de aprovação, superando o exigente mínimo de 85% definido pela montadora e igualando o desempenho de centros de serviços históricos como as nossas plantas em Florencio Varela ou Ferrosider. Foram analisadas as práticas operacionais do material e os padrões de qualidade exigidos para a construção do chassis da nova Hilux.

“Os segundos contam, e foi o trabalho em equipe que nos levou a resultados tão bons”, disse Gustavo Rivadero, chefe de turno do setor. “Termos conseguido esse resultado no primeiro ano em que o centro é auditado por uma montadora é duplamente satisfatório; reflete a transformação que o centro já começou em direção a um novo padrão de centro de serviço”, afirmou Antonio Cristiani, assistente de direção da Customizados Norte.

Exigências técnicas

Cinco pessoas em cada um dos três turnos aplicam o Projeto Toyota, uma prática operacional específica que define tecnicamente os tipos de corte, dureza, embalagem, empilhamento e entrega do material à empresa japonesa.

“Ver o processo que a Toyota exige ajuda a elevar o desempenho da equipe. No começo era difícil manter a mesma laminação nos três turnos; a máquina era nova e para ter uma unificação, a comunicação entre a equipe foi fundamental, além do esforço e do compromisso de todos”, contou Pablo Tallarico, operador de linha de produção na Serviacero III.

Em fevereiro faz um ano que a niveladora que faz a chapa de aço foi implementada. A famosa Liggett passou por várias calibragens, visitas de manutenção e horas de trabalho para o entendimento do equipamento. “Nós tínhamos uma maneira de fazer a chapa e este equipamento nos desafiou a adotar um novo processo de produção, um novo paradigma”, disse Tallarico. Para Rivadero, “graças ao esforço de todos, hoje temos 97% de aceitação do material produzido”.

Como foi a auditoria de 6 de dezembro:

 O processo se dividiu em cinco grandes aspectos, englobando a gestão completa da produção: Matérias-primas, Processo de Manufatura, Processo de inspeção, Capacitação do pessoal e Controle de qualidade.

Auditoria na linha de produção:

1ª parte pela manhã. Inspeção geral.

Bobinas localizadas no cume, percurso pelo púlpito de operação, embalagem e como esses lotes eram estocados.

2ª parte pela tarde: específica do processo.

Desde o início do enrolamento da bobina, à produção da chapa e corte.