Notícias

“História Viva” lança quinto fascículo

8 ago 2016

Duzentos anos após a independência argentina, foi lançado um novo fascículo do programa “História Viva”, escrito por Santiago Chervo, diretor do Museu Municipal de San Nicolás e colunista da nossa publicação “Gente del acero”.

Daniel Novegil, CEO da Ternium, e Martín Berardi, diretor-geral da Ternium Siderar, receberam na planta General Savio os prefeitos de San Nicolás e de Ramallo junto com as principais referências da comunidade educacional e cultural local e respeitados historiadores que trocaram ideias sobre a importância da história e saborearam curiosidades sobre a Argentina e a cidade de San Nicolás no evento de lançamento do fascículo “Congresso de Tucumán: Bicentenário da Declaração da Independência”, o quinto do programa “História Viva”.

“Esta iniciativa ajuda a criar raízes, vincula melhor as pessoas com as suas famílias, o seu povo e a sua nação, porque estes fascículos retratam, com imagens e palavras, acontecimentos que ocorreram em regiões próximas das nossas plantas”, disse Novegil.

Santiago Chervo, historiador e autor do trabalho, confessou que o segredo para escrever é fazer isso como se estivesse vivendo a época. “Eu começo a me localizar no tempo, há 200 anos. Procuro imaginar como as pessoas viviam, como era o transporte”.

De acordo com Ismael Passaglia, prefeito de San Nicolás, a iniciativa significa uma importante contribuição cultural não só para a cidade, mas também para a região. “O próprio Congresso de Tucumán declarou San Nicolás cidade três anos depois em Buenos Aires, no dia 23 de novembro”, como conta o fascículo.

Concurso para estudantes

O programa “História Viva” surgiu por iniciativa de Daniel Novegil em 2010. Tem como objetivo divulgar fatos importantes que formaram o espírito da nação Argentina e que, em muitos casos, aconteceram na região onde a empresa realiza as suas operações. Os fascículos são distribuídos com o jornal “El Norte”, de San Nicolás. A sexta edição já está sendo preparada e será sobre San Martín e o Exército de Granaderos.

Além disso, é organizado um concurso em conjunto com a Inspeção Regional de Educação, destinado a despertar nos estudantes o interesse pela história, fomentar a busca de informações, a aplicação de tecnologias e as habilidades artísticas.

Para Germán Flores Capriotti, chefe de Inspeção Regional de Educação, o material representa um grande apoio para a pesquisa dos alunos e para o trabalho dos professores em sala. “Nas escolas públicas e privadas, agradecemos esta iniciativa porque nos permite trabalhar com vídeos que os jovens farão com câmeras e celulares para transmitir nas redes sociais. Se nas salas de aula conseguirmos transmitir a paixão dos heróis do nosso país, os alunos poderão crescer como cidadãos responsáveis pelo presente e pelo futuro, e tornar-se responsáveis pela história”.

Visite o site do programa História viva.